segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Aqui

Você me faz ser rio.
Me faz bem.
Seu cheiro vem até mim.
Seu corpo permanece aqui.


ass: Mar Santiago

domingo, 25 de dezembro de 2011

Enquanto Penso!


Penso em todos os amores que tive este ano.
E todas desilusões.
Quantas viagens fiz.
Quantas vezes fiz a mala.
Quantas desfiz.
Quantas beijos roubei.
E quantos foram roubados meus.
Quantos dentes de leão soprei.
E quantos foram soprados.
Sei que fiz tudo com um pensamento único.
Tenho que ser feliz.
Quantas vezes chorei.
E outrora sorri.
E quantas vezes me machuquei.
E outras te feri.
Sei que chego ao fim de mais um ano e penso.
Eu fui feliz!
Da maneira mais linda,mais torta,mais vermelha na ponta do meu nariz sim caros senhoras e senhores eu fui feliz.
E que venham mais amores,danças,decepções e muitas conquistas.
Pois bem EU ME DECLARO HUMANA.

ASS: MAR SANTIAGO

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Bonito!

Antes da viagem ao interior de Minas Gerais.
Peço que meus olhos se recuperem.
Pelo que meus olhos entendam.
Que o é céu azul.
Não cinza como estou acostumada a ver!
Peço que o sol que arde a pele.
APENAS faça a cor se moldar a original.
Peço que os dias passem
Mas não tão depressa pois o céu estrelado de lá.
É bonito demais.

ass: Mar Santiago

sábado, 17 de dezembro de 2011

Vidros/As lágrimas


Como o vidro eu me quebro.
Como o vidro eu me machuco.

(2x)Como vidro eu pulverizo.
Como vidro eu reflito.

Como o vidro eu sou frágil.
Como o vidro eu corto.
Eu também me corto.

ass: Mar Santiago

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Hum

Ando.
Corro para um ponto de chegada.
Para um ponto de ônibus na SP acordada de madrugada.
Chego três horas após o previsto.
Não foi um ato romântico e sim necessário.
De atos reatados românticos fiz milhares ao longo do ano.
Me perde.
Me acha.
O cheiro da minha pele exala.
Confunde-se.....
Apenas continuo a me confundir.
Mas ando e busco....

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Delicadezas Parte IV

Eu quis ficar no teu corpo hoje.
Mesmo depois do cansaço e da chuva que lavou tudo.
Eu quis me deitar.
Eu quis....
Mas não tenho controle sob as decisões das pessoas.
E quis.
Mas querer não traz para o plano da presença.

ass: Mar Santiago

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Delicadezas Parte III



Ter inúmeros amores.
Se rasgar nas palavras.
Durante a noite e dormir.
Talvez sonhar.
Talvez não.
Viver todas as bocas que lhe pertencem.

ass: Mar Santiago.

domingo, 11 de dezembro de 2011

Eu quis parte II



Já não causa mas insônia.
Eu quis embora.
E posso ir?
Não pergunto mais.
Sou por inteira livre.
Liberdade de escolhas.
Liberdade em dizer eu não quero mais.

ass: MAR Santiago

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Delicadezas Parte III

Me venha sem limites.
Com a chuva ou com sol.
Me surpreenda....

ASS: MAR SANTIAGO

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Delicadezas Parte II

Pegar sorrindo na AV.PAULISTA!
Com gosto de felicidade e chuva no céu da boca.

ass: Mar Santiago

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Delicadezas Parte I



Delicadezas do dia.
Soprar Dentes de Leão.
Pensar em você.
E roubar um beijo Teu

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Eu Quis








Eu quis ir embora.
Uma duas vezes.
Você não quis deixar e agora?
O que faço?
Se você está de malas prontas pra ir embora.
Ficarei aqui a tua espera?
Você vem me buscar?
Todas as respostas são os mesmo silêncios de sempre.
Você não me deixa e nem vai de vez.
Agora estou aqui...
A esperar alguém que não tem voz mais pra mim.
Alguém que me deixou no silêncio.

ass: Mar Santiago.

domingo, 4 de dezembro de 2011

Ah!

Ah sonhar contigo é bom.
Mas estar deve ser melhor ainda.
Incomparável!

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Nostálgica

Me perco na Nostalgia musical.
Que me assombra hoje.
Ah eu sou brega!

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Retas

Eu andei pensando.
Muito no trajeto das coisas que me aconteceram.
Um bonito caminho.
Às vezes sofri sem necessidades.
Em outras horas fui mais feliz do que imaginava.
Chego a primeira reta final de muitas que começaram.
Tão estranho ver o percusso das coisas.
Mas ainda é bonito de ver.
Que é tão lindo não saber de nada.

ass: Mar Santiago

Beijos

Todos os beijos.....
Todos os afagos.
Encontro.
Quando me pego desarmada.

ass: Mar Santiago.

domingo, 27 de novembro de 2011

Mais Viva que nunca.
Cheia de saudades.
E com uma força louca pra ir pra frente.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Os dias de agora em diante são mais longos.
Ai saudade que fica....
Ai saudade.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

O choro

Pensei que não chegaria, a esse ponto.
De admitir que perdi.
Que te quis.
E não tive.
Ah menino bobo dos olhos mais lindos que já vi.
Dentro de um tornado.
Eu chorava como criança.
E um dia atemporal e belo.
Eu de olhos inchados.
Sendo abraçada,acalentada como criança.
Quando te abraço o mundo inteiro para de girar.
Ali em volta do teu pescoço e cintura.
Beijo teu pescoço.
E nada mais que isso.
Pois só sei chorar.
Como se tivessem guardado minhas rodas da bicicleta e me colocassem pra aprender sem elas.
E você está lá.
Perguntando o porque choro.
Já sabendo a resposta sou uma chorona.
Ali que percebo quanto gostaria de uma chance para estar ao teu lado.

ass: Mar Santiago
Esse céu azul.
Lá fora.
Parece que uma tempestade passou pelo meu corpo.
E chegou a calmaria.

ass: Mar Santiago.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

veja-se

As pessoas são loucas.
E acham que tem o direito de te enlouquecer junto.
Ei!
Tenho problemas demais já!
Ok.
Fechamento de ciclos,não são tão simples.
Então pare de ser egoísta.
Mire e veja-se.
Que horror quer fazer dos meus dias.

ass: Mar Santiago

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Se eu pudesse te abrigaria aqui.
Em mim.
Em um pedaço que ninguém domina.
Ou tem dominio.
Ah se eu pudesse....
Parar de sonhar com teu beijo.
Como seria.
Ah se eu pudesse te terei aqui durante as noite pós chuva.
Deitar.. rir ao teu lado.
O que mais desejo
Eu te abrigaria aqui.
Sem qualquer pensamento de dominar-te
......Ahhh!
Suspiros,suspiros...

ass: Mar Santago

O Oposto/Um doce silêncio

No inicio era apenas capricho.
Diálogos tão fúteis que nem pareciam ser algo.
No principio era tolo.
Apenas o achava uma figura.
Como os olhos dilatam.
E mostram coisas que não perceberíamos.
Se não fossem os inúmeros diálogos de janelas.
A saga inteira.
Os carinhos e as brigas inteiras.
E agora me pego pensando em meus olhos inundam uma tela inteira.
E teus olhos doce menino bobo.
Olhos serenos de lagoa.
Bobo de doçura e uma força que desconheço.
Como eu gosto de você.
Estou sentindo uma dor de separação.
Inexistente.
Pois nada tivemos.
Apenas meus devaneios coloriram as cenas.
Perfeitas que seriam.

ass: Mar Santiago

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Despedida do Menino Bobo

Senti sua falta.
E o quanto é vazio ter e não ter você.
Menino Bobo.
Conto os dias para despedida.
De alguém que eu amei só.
Sem compartilhar com ninguém tal coisa.
Das conversas todas de tudo.
Dos quase beijos.
Do abraços longos....
Sentirei falta.
Você faz falta.

ass: Mar Santiago

DO UNIVERSO

É do universo que não sei explicar.
Algo no meu corpo se modifica.
Os meus olhos mudam.
Meu jeito.
No caminho torto de acertos.
Emocionada.
Pelo olhos da minha mãe ela diz:
Nada do que você fazia eu entendia.
Agora te vendo assim,tudo faz sentido.
Minha família vendo.
E da lógica inversa que não entendo.
E tão pouco desejo isso agora.
Quero degustar....
Quero DEGUSTAR...........

ASS: MAR SANTIAGO

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Tua

Eu amo o jeito que sou tua.
Tuas formas.
Teu rosto.
Teu gosto.
Meu gosto em você.
Minha forma de acordar,levantar e ir embora.
Meu jeito tempestivo na hora de dormir.
E às vezes sorri.
Pois quero apenas descansar.
Mas meu corpo não me abandona.
A vontade de ser tua me sufoca.
Olho para janelas e portas.
E somos apenas nos dois.
Analisa minhas curvas.
Meu rosto,olhos,bocas e o gosto e arrepio que causo em você.
Os corpos quentes.
Mesmo que lá fora esteja frio.
Eu ainda gosto de lembrar o jeito que sou tua.

ass: Mar Santiago

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Quando um Furacão se Instalou em mim.

Um furacão passou....
Apenas sobra as sombras das coisas que foram.
Nada do que eu disser fará sentido.
No dia seguinte da ressaca do mar, você vê o que sobrou.
Se a revolta do mar foi maior do que se imagina.
Sente-se na beira da praia.
Tire a poeira e os escombros
E veja:
Por onde eu começo a reconstruir.
E não acho ruim...
Que as coisas acabem.
Mas doe né.
SE a despedida não for bonita.

ass: Mar Santiago

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Outros

E nos perdemos um do outro.
E nos encontramos um no outro.
E toda essa intimidade não pode ser jogada fora.
Como se nada houvesse acontecido.
Entende.
Encontros assim não se escorre como água.
Não perdem assim,sem explicação alguma.
Outros.
Outrem assim não se perdem na facilidade.
Tantas futilidades...
Outros já passaram por isso.
Mas não falo dos tantos outros.
Digo de você.
Não perdemos.
Não.
Meu corpo ainda sente o teu.

ass: Mar Santiago

domingo, 6 de novembro de 2011

Enquanto uma festa acontece do lado de fora.
Eu observo e apenas silencio.
Silenciar é bom!
Ainda mais quando seu corpo está barulhento demais!

ass: Mar Santiago

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Quando retornei ao meu quintal.

Dizem que voltar ao quintal,é a sensação mais prazerosa do mundo.
Eu agora concordo.
Eu sai menina de um quintal,que já foi florido pelas rosas vermelhas e impulsivas.
Tanto as de Oscar Wilde, quantos as do jardineiro.
Eu passei muito tempo trancada em meu quintal.
Grande,cheio de ar....
Sempre tive vontade de ser menina-pássaro; mas não deixavam eu voar.
Oito anos garimpando o mesmo lugar,sem ver o que tem do outro lado.
É muito tempo.
Resolvi embarcar em uma viagem de gente grande,a principio sem voltas ao meu quintal.
Sentia-me como essa menina-grande,menina pássaro,menina-artista palhaça.
Mas a lacuna de ver como seria após minha saída.
Era uma curiosidade minha.
Hoje após dois anos retornei ao quintal,das rosas vermelhas.
O quanto foi emocionante.
Ver um filme passar na minha cabeça.
Ver que foi um retorno de passagem e agradecimentos.
E agora eu Mulher sigo adiante com minha mala.
Com os olhos mais felizes do mundo.
Pois já mais me esquecerei do meu quintal.

ass: Mar Santiago

domingo, 30 de outubro de 2011

Quando Pequena!

Quando pequena, tinha medo de trovões.
Durante muito tempo me escondia debaixo dos lençóis,esperando que o temporal passasse.
Mas ainda quando pequena gostava do gosto da chuva na ponta da língua.
E me deliciava ficar horas no escuro.
Como é bom.
Pensar nessas miudezas....
Sentir cheiro de terra molhada.
Ah quando pequena.

ass: Mar Santiago

sábado, 29 de outubro de 2011

Medos

Então!
Voltei para minha solidão!
As flores que brotam no meu vestido não são mais a mesmas.
São belas porém não as mesmas.
Cada primavera é unica.
Como cada pessoa que passa por mim,dentro de mim é única.
Então!
Senhor das lembranças desagradáveis em dia de solidão!
Voltei a ser só!
Não quero pensar nisso agora!
Pois acho que posso me entristecer!
Dá solidão entendo.
Do desapego tento entender!
Do evitar certas coisas ainda dói.
Não sei ficar só.
Ainda tenho medo!

ass: Mar Santiago

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

O ser Artista

Do tempo todo que tive.
Do tempo todo que tenho agora.
Do tempo inteiro que terei.
Me declaro hoje egoísta com o meu próprio tempo.
Ao contrário do que acham.
Não acho ruim,digo isso francamente.
O tempo que é utilizado
Precisa ser útil fato.
Não pode ser desgastado com promessas tolas,amores desnecessários,problemas de miudezas.
Meu olhar tem que ser franco,de formiga e certeiro.
Não tenho outra oportunidade para provar o quanto me tornei mulher.
O quanto o tempo foi generoso ou desastroso com meus sonhos.
Quando criança,olhava as cores na janela.
E nenhum momento pensei que me tornaria artistas de tantas.
E nenhum momento achei que fosse fácil.
São exatamente 23 anos depois,de perdas e conquistas que começo me intitular dona do meu nariz.
Sim estou partindo para a liberdade total.
Sabemos bem que, não utiliza-la de uma forma continua,
Não curte o gozo até o final.
E afinal de contas, declaro: "Eu quero me molhar por inteira do prazer, de ser responsável pelo que o que cativei".
Ser artista é uma escolha,um caminho ao qual tem que ser renascido todos os dias.
Pois se não tornar-se burocrático.
Ai perde-se o encanto das delicadezas,do ato de escolher.
São 23 primaveras.
São 23 anos afirmando para o que vim, neste mundo.

ass: Mar Santiago

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Meu bem!

De fato não entendo mais.
Qual o caminho que percorre a ausência.
Já se fez tão distante e longe.
Que não se tem motivos de ter!
Então decido por hora depois de uma conversa longa e produtiva!
Quem não quer mais sou eu!
De fato não vou entender tão pouco compreender qualquer lógica de ausência tua!
Tão pouco buscar respostas.
Meu bem quando decido,decido!
Bom siga o teu caminho sigo o meu de agora em diante!

ass: Mar Santiago

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Do Peito Dilacerado de Saudades

Acordar de madrugada sem teu corpo junto ao meu.
É estranho.
Nesses momentos que penso:
Dou conta que gosto!
Na hora que já foi embora.
Não ter o corpo quente por cima do meu.
É desconsolo do corpo meu.
Nu na cama sem os lençóis e tuas coxas.
Nesses momentos que penso:
Você não deveria ter ido embora!
Dei conta que gosto!
Meu peito frouxo!
Agora dilacerando de saudades do teu corpo!

ass: Mar Santiago

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Por teus Olhos

Eu...
Eu...
Escrevo.
Queria tanto um beijo seu para com plenitude da escrita.
Eu queria pegar no sono no teu colo.
Vem...
Vem...
Mãos deslizando nas coxas.
Corpos Nus!
Bocas.......
Eu...
Com olhar fixo arrogante e doce.
Observando-o.
Ali me desejando.
Ali...
Enquanto escrevo.
Me sinto sendo observada por teus olhos.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Hora Exata 3:15 da manhã/ Um Corpo sem Outro.

Mando e me arrependo.
Viro e mexo na cama.
Está faltando algo.
Um outro corpo talvez.
Um outro.
Peso sobre o meu.
Meu cansaço meu descompasso.
Meu corpo fora do compasso.
Fora do teu corpo nú em cima do meu.
A mensagem que eu espero, a resposta.
E não chega.
mando,remando e me arrependo.
Acordo 3:15 da manhã sem saber que cama estou.
Estou só na cama.
Ainda estou só.
Eu ainda continuo só

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Os pés

Sinto que me falta um pedaço.
Meus pés não estão me acompanhado.
Crise no momento das escolhas feitas.
Não que tenha arrependimentos.
Mas falta um pedaço grande até das minhas antigas escolhas se fundiram com estas.
sINTO Saudades.
Falta Falta.

ass: Mar Santiago

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

No caminho de volta para casa,ainda penso.
Gostar às vezes doe demais.
Tem horas que faz bem.
Outrora perturba o sono.
Na janela do ônibus vejo a cidade agitada.
Meu pensamento está ainda mais caótico que o trânsito.
A garoa fina embaça o vidro.
Minha visão está deturpada.
Enquanto volto penso o quanto é difícil ser humana.
E o quanto ainda sou a menina mimada de sapatos vermelhos batendo o pé.
Pois não fizeram meu caprichos.
As poucas lágrimas são mais caprichosas que o normal.
O quanto é dificil ser adulta.

ass: Mar Santiago

domingo, 16 de outubro de 2011

Diálogos de Janelas/ Talvez o último!

E hoje teu cheiro veio.
Inconfundível perto do pescoço.
Como um beijo em forma de vento.
Penetrando nos poros, perturbando os pelos do braço .
Falando próximo ao meu ouvido.
E meus lábios querendo os teus.
Esqueci que nossos diálogos não podem ser feitos na presença de todos.
Depois que recebi uma bronca, sei que não devo mais dialogar contigo.
Essas nossas conversas de janelas que só nos sabemos o que é.
O que é olhar no teu olhar encostar um pouco e ficar bem.
Ah menino bobo.
Que hora imprópria de perceber que gosto de você.
Que hora desorientada para entender isso.
E teu jeito veio ainda mais manso e lindo de ser visto.
Como isso pode acontecer?
Da maneiras mais louca.
E imprevisível.
Ei menino Bobo.
Acho que depois de tudo que nos aconteceu já.
Esse é nosso último diálogo de janela.

ass: Mar Santiago

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

O Último Olhar Para o Pássaro dos Olhos Negros)

E assim foi.
Entre uma ciranda e outra que suas mãos me abandonaram.
As fitas do estandarte nos separam.
Entre uma multidão de pessoas.
Havia tantas cores.
E eu via de longe,pares de olhos negros me observando.
A multidão me cercando, me levava para longe de ti.
Eu remando contra a maré;para chegar perto.
A ciranda cada vez mais calorosa.
As cores e flores das vestes dos que me rodeiam; me confundem.
Eu desesperada procuro teu olhar.
Procuro um pássaro de olhos negros entre um mundaréu de gente.
Ah! Meu vestido ensopado, a chuva que não sossega.
Meus olhos te procuram, te acham e te perdem.
Finalmente minha mão encontra teu rosto.
Que alivio!
Meu Pássaro de Olhos Negros.
Quanta procura! Tanta saudade!
Ele apenas olha a Menina tola de sonhos desvairados.
Aperta sua mão com os corpos distantes.
Aponta seu novo amor para que a menina veja.
E lhe diz: Prazer em reve-la.
Fique bem!
Ele se afasta e desaparece entre as cores.
A ciranda agora se torna cinza.
As flores das vestes murcham.
Uma lágrima escorre,é a primeira vez que sente o sal que tem gosto de despedida.
A menina repete tantas vezes, para si mesma:
Ao menos um abraço,como tantos outros tivemos.
Ele não foi capaz de conceder.
Ao menos um olhar de carinho,por todas as fitas coloridas que guardamos.
Ela caminha em direção a porta.
Sente o gosto da chuva se misturar ao sal das lágrimas.
E diz:
Eu não me arrependo de como terminou.
E sim no que você tornou.
Lança em uma correnteza.
Que se forma na frente dela.
Uma fita que ganhará do seu pássaro,no primeiro encontro.
Murmura soluçando baixinho.
Adeus!


ass: Mar Santiago

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Próxima Estação

Eu queria mais diálogos de janelas.
Desses que ficamos voltando horas em um mesmo assunto.
Eu queria me perder de vez nos teus olhos.
Eu queria de vez te assumir.
Assim sem muitos problemas.
Eu queria ter tido a coragem.
De dizer que meu menino bobo.
É o meu dialogo de janelas.
Que me perco quando ele passa.
Quando me beija.
E quando brigamos.
Eu não quero perder as poucas oportunidades de te dizer a verdade.
Volta.
A próxima estação é a minha.

ass: Mar Santiago

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Eu 2

E se eu sentir saudades.
E se quiser ficar.
E se tudo não passar de um devaneio?
Como as expectativas conseguem nos travar,ao ponto de desejarmos igualdades.
Não digo igualdades que fortalecem.
E sim de atitudes e pensamentos.
Entende.
Pois se você deseja alguém igual a você, compre um espelho e carregue consigo.
As perguntas,indagações,divagações não colaboram com os encontros.
E se...
É muito vago.
E se é futuro.
Não aconteceu ainda.

ass: Mar Santiago

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Eu

Eu entendo.
Eu apoio.
Não significa que eu concorde!
Eu compreendo os medos.
Desejos,loucuras até.
Mas não quero compartilhar entende.
Me faz mal não ser nem um pouco correspondida.
Pensada.
Lembrada.
Eu tenho muitos amores.
Mas quero um aconchego desses que duram horas,dias,uma eternidade toda de minutos longos.
Entende?
Acho que não pois se sim.
Teria me dado resposta.

ass: Mar Santiago

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Devolve.... A Saga Diálogos de Janelas

Me devolve.
Diz a menina olhando para o menino bobo.
As coisas mais belas que já me disse.
Sinto você tão longe e tão perto.
Se pudesse ficaria no teu colo.
Até as bocas se encontrarem.
Olhando teus olhos.
Olhando o quanto a cada dia me apaixono por você.
Mesmo sabendo que não deveria.
Em atos seus tão pequenos.
Eu o admiro.
Eu imagino tanto como seria o seu beijo.
Acredito que eu o roubaria.
Assim de surpresa.
Como em uma brincadeira de criança.
Meu olho inocente e febril te olha.
Me devolve.
Aquele aconchego todo.
Deixa eu me perder em teu corpo.
Assim sem querer.
Assim nas qualidades nomeadas enquanto conversamos bobagens de janelas.
Te gosto tanto menino bobo.
De olhar doce penetrante.
Que me faz ficar sem palavras.
Eu.
Menina aboletada em um corpo de mulher.
Que percebo a cada dia.
Me devolve.
Ou me tenha.

ass: Mar Santiago

Vezes

Não sei o que se passa.
Meus atos parecem fora do contexto.
Sou desenfreada.
Às vezes anormal.
Dentro da normalidade de um senso comum.
Em alguns momentos sou julgada.
Por atos que nem cheguei a fazer.
Por sensações causadas que nem sei como aconteceram.
Sou julgada às vezes por ser eu.
Menina.
Outrora mulher.
E algumas vezes vista com maus olhos.
Me sinto Geni do Chico.
Fora do meu corpo cheio de desejos.
Ainda sim sou humana.
Não sei o que se passa.

ass: Mar Santiago

domingo, 9 de outubro de 2011

Deixe

O caminho que você escolhe essa noite.
É sem arrependimentos.
Sem pensamentos.
Deixe que o corpo conduza.
Desmanche a idéias de escolhas.
Remeter a dores.
O caminho que você escolheu essa noite.
É apenas diferente do meu.
Nada além disso.
Meu bem.
Nada além.

ass: Mar Santiago

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

A Noite antes da estréia!

Em uma noite.
Antes da Estréia.
A primeira vez que meu nariz tomará conta de um palco.
Enxergando,Respirando,Alimentando-me por ele.
As emoções que passam pela minha cabeça são tantas.
Não sei nomear.
Dar conta do seu próprio nariz.
Quantas indagações não passam pelo corpo às vezes frágil.
Moço.
Mais forte e sagaz quando necessária.
Aqui dentro tem uma energia incontrolável.
Aqui tem alguém que tem prazer em assumir seu nariz.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Diálogos de Janelas. Parte II

Hoje não foi um dia qualquer.
Me peguei de fato te desejando.
O teu cheiro,a pele,os lábios,as costas largas.
O jeito delicado bobo, áspero engraçado de ser.
O toque o olhar.
Calma aí!
Eu não estou louca, seus lábios desejam o meu.
Mesmo que seja por milésimos de segundos.
Seu abraço de querer mais.
Os corpos conversam.
Enquanto nossas bocas e olhos estão compenetrados.
Nossos diálogos de janelas.
Só nós podemos compreender.
As indiretas, os raciocínios invertidos.
Ah menino meu corpo hoje queimava pelo seu.
Minha boca desesperada fugia.
Meus olhos nem adentravam aos teus.
E as estações rompiam nossos silêncios e minha vontade de ter um pouco mais.
Você já foi apaixonado?
Eu tenho um pensamento único.
E você?
Quero abraçar o mundo não tenho foco.
Energias distintas que se atraem.
Estação....
Ana....
Tenho.
Sim.
Sei.
Até.
Ah......
O dialogo para continuar é interrompido com o fechar das portas.
A boca sente como se quase tivesse acontecido.
Mais logo se depara com as diferenças.
E lembra são diálogos de janelas.


ass: Mar Santiago

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Sou....

Sou por inteira água, me desfaço,me renovo, e ganho espaço.

ass: Mar Santiago

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Um café

E sua mensagem.
Chega no momento exato da minha solidão.
Do meu querer.
Você aparece no momento preciso para que as coisas aconteçam.
De fato.
Minhas noites mal dormidas.
Me consolam com o trabalho exercido agora.
Como quero partilhar contigo meu crescimento.
Meu saber escutar.
Saber...
Posso tomar um café e ser uma eternidade ao teu lado.
Uma eternidade.

ass: Mar Santiago

domingo, 2 de outubro de 2011

Aí veio a Crise...

Um domingo chuvoso.
Atravessar a cidade.
Para um ensaio no domingo.
Retornar.
Ainda não.
Ver a chuva que desaba sob São Paulo.
E estar sentada vendo um espetáculo.
De inicio confuso.
Mas logo depois a Crise.
Revela-me tudo que quero defender enquanto palhaça.
Todas as dúvidas que tive no ensaio me são esclarecidas horas depois.
Retorno a minha pequena cidade sentindo;que amanhã começa uma longa semana de descobertas.

ass: Mar Santiago

sábado, 1 de outubro de 2011

Noites de Insônia de Mar Santiago



Uma noite.
Depois da chuva.
Eu no quarto,só.
Completamente.
Apenas eu e o teclado do computador.
Noite adentro.
Escrevendo e relatando os dias de insônia.
Mãos frias.
Pensamento solto.
Querendo um beijo.
Que venha junto com ar frio que entra na janela.
Assim previsivel.
Que suas mãos pesem.
Nas minhas curvas.
Deslize entre as coxas.
Percorra o corpo dispido na cama.
Volto ao lugar de inicio.
Meu quarto.
Um lugar de tamanho médio.
Porta trancada e músicas baixas.
Minha cama desforrada.
Meus mimos em cima do lençol.
O celular perto.
Devaneio.
Uma noite.
Sinto o cheiro da chuva.
Noite adentro.
Me vejo em seus braços.
Me devora.
Com olhos avassaladores.
Mãos sob meu corpo enmaranhado nos lençois.
Adormeço em volta ao braços teus.
Pele.
Devaneio com doses agudas.
Uma noite.
O frio já adentrou meu quarto,meus ossos,até o teclado do computador.
As músicas que embalam a noite se tornam densas.
A minha mente foge de mim.
Me vê perdida em êxtase.
Volupiosa.
No prazer de dois corpos.
O devaneio esfarelace.
Retorno ao quarto.
Durmir?
TALVEZ.
Tentar.


ass: Mar Santiago

Ponto de Parada

O que faço com as tuas não respostas.
Hein!
Uso as contra com você.
Com um findar definitivo do que não aconteceu.
Não tenho apelido para nomear-te.
Nem tão pouco sentimento lúcido e genuíno de fato.
Mas e aí o que faço com teu silêncio?
Engulo junto com o meu cansaço de horas.
E então te ignoro de vez.
Esqueço que foi um erro me permiti,mesmo que fosse por noites que não deveriam ter existido.
Estou severa demais.
Causando rupturas.
Com raiva.
Não sei do que exatamente.
Entende.
Ainda fica povoando na minha cabeça.
O que faço com as não palavras que não chegaram em uma mensagem de resposta.
Vou apagar seu número.
E dar fim.
Colocar a mochila nas costas e voltar a caminhar.
Enfim você não é meu ponto de parada.

ass: Mar Santiago

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Olhos d' Àgua

Nunca havia percebido.
O quanto sou sensivel ao seu toque.
Ao seu cheiro.
Ao seus olhos.
A sua loucura.
Aos seus acertos.
Até hoje.
Até poucas horas atrás.
Sabe.
Como me sinto afetada sobre isso.
Sua boca.
Próxima da minha.
Não.
Não.
Eu estou sensivel demais.
Para ter emoções fortes.
Com alguém que não posso ter ilusões.

ass: Mar Santiago

Detalhes

Você sempre me perde nos detalhes.
Nas virgulas.
Nas palavras mal acabadas.
Nas respostas incoerentes.
Sabe.
Gosto muito de você.
E acredito que saiba disso.
Mais você me perde nas entrelinhas.
Nas interrogações.
Nas subjetividades.
Em ser você às vezes.

ass: Mar Santiago

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

A Cavalo

Dizem que vem a cavalo.
Dizem.
Não sei.
Tem dias que passam desapercebidos.
Outros rasgam.
Ainda outros evaporam.
Dizem para a menina de olhos castanhos, que vem a cavalo.
O que?
Precisamente vem a cavalo.
Uma foto,um amor,uma resposta,uma tempestade....
Dizem...
Não Sei.
Chega essa semana.
Dizem.
Quem?
Diz que chegaria essa semana?
Seu pai,o avô,o padrinho, a ama de leite do 1º ano de idade.
Quem vai acalentar o coração da moça de vestes floridas.
Hein.
Dizem.
Menina apenas dizem.
Ah! Cansei!
Diz a moça boba e nervosa.
Calma!
Diz o dono dos recados.
Não há motivo algum para saber, as coisas antes de acontecerem.
Se dizem que chega.
Chegará.
Se é a cavalo é.
Aprenda a trabalhar a paciência.
O que é seu não veio pois não chegou ainda.
Chegará.

ass: Mar Santiago
Entendendo a tempestade que às vezes povoa.
Outrora enlouquece
Por fim desnuda tudo deixando a calmaria
Mas sempre deixando vestígios que um temporal se acentuou em algum momento.
A calmaria prevalece.

ass: Mar Santiago

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Forças

O cansaço é mais aparente.
Tenta-se disfarçar
Buscar de onde não sei mais.
Forças.
Oprimindo o ego e não deixando que ele seja sufocado também.
Tem uma parte minha que chora todas as dores.
Todas as horas.
Tem uma donzela que quer ser frágil.
Mais tem uma guerreira obstinada não deixando esmorecer.
O cansaço ainda é presente.
Mais não maior que a vontade da minha estrela brilhar.

ass: Mar Santiago

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Leveza x Guerreira

Todo cansaço é revelado.
Sabe no andar na pisada pesada.
Mais na alegria de estar.
Leveza
Guerreira.
Eu tenho que unir as duas coisas.
Eu tenho.

ass: Mar Santiago
Tudo confunde.
Tudo une.
Tudo se funde.

ass: Mar Santiago

domingo, 25 de setembro de 2011

Ano 1

Uma cidade.
Inteira para me ver.
Uma noite linda mágica e pronta pra me ver acordada e florescendo.
E me vendo sorrir totalmente apagada de anseios bobos apenas vivendo....


ass:Mar Santiago

sábado, 24 de setembro de 2011

Feliz Ano Novo!

Hoje é o dia.
Levanto-me cedo.
Olho para o relógio e sim hoje é meu dia.
Feliz Ano Novo pequeno Jacutirão,fulô,Margarida,Majá,Mar,Maré......
Como é bom renovar o mundo,o olhar,o dia,o acontecer do dia...
Quantos beijos,abraços,afagos,ligações,mimos,carinhos....
E o dia ainda não terminou...
Evoé!!!!

ass; MAR

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Amoras

Das árvores que tinha a que mais gosto é amoreira.
Gosto dos dedos tingidos de vermelho cor de sangue.
Que fica nas pontas.
E pinta o chão inteiro.
Gosto doce outrora azedo quando não está pronta.
Pra degustar.
Hum... amoras...
Àrvores repletas...
Tem gosto de Primavera....

ass: Mar Santiago

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Um dia

Um dia é muito pouco.
Um dia é quase nada.
Mais tem 24 horas.
Só tem 24 horas.
O que se faz com tantas horas assim no dia.
Aproveita!
Aproveitar?
Como?
Como??
Se aproveitando oras.
Deguste.
Como se faz?
A menina estava confusa.
O senhor das respostas.
Não tinha paciência.
Então a noite se instalou em seus olhos e fez pensar.
Um dia é um dia.
Apenas isso.
E tudo isso.

ass: Mar Santiago

domingo, 18 de setembro de 2011

O FINDAR DO INVERNO/ PASSÁRO DOS OLHOS NEGROS

Eu queria não associar sua presença com os meus devaneios.
Eu queria sufocar lembranças a mais.
Eu queria não escutar o som de uma batucada atravessando meu corpo.
Eu não queria lembrar do teu rosto rude.
Pele branca queimada,olhos negros,barba que cobre o semblante.
E o torna mais mal humorado que o normal.
Eu queria que essa palavras chegassem até você.
E que você voltasse com o iniciar da Primavera.
Quem sabe você não percebe que eu flor menina estou de volta.
Com os olhos castanhos com um fundo de brilho por conta das cores.
Se você não voltar por algum motivo qualquer que seja.
Saiba eu te esperei o inverno inteiro.
A....

ASS: MAR SANTIAGO

Setembro

Eu sei ando meio romântica por esses dias.
Confesso o chegar da primavera me faz bem.
Como o mês de setembro me faz bem.
Beijos,sussurros,afagos.
Ah.....
... Flores,amores.........
Sim os meus dias são belos.

ass: Mar Santiago

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Um menino bobo de Principe

Eu me engano.
Eu desaponto.
Eu às vezes me confundo.
Mais olha para a janela.
Vê?
O céu hoje está nublado!
Frio,garoa e tempo de inverno em meados de setembro.
Mais quando te vejo,assim perto.
Por perto nas situações mais tolas.
Percebo que não me engano mais.
Nem tão pouco desaponto e me confundo.
Entre coisas tão particulares.
Me apego em tuas frases delicadas.
Eu sei apenas você.
Entenderia esses dialógos inteiros de mêtro.
E meus olhos param e te observam.
Observam o quanto ando reparando no sol atrás das nuvens de uma São Paulo cinza.
Meu menino bobo.
Bobo.

ass: Mar Santiago

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Segredos

Me perdendo nos seus olhares.
Ainda não em tua boca.
Segredos que quero te revelar.
Sou Feliz Demais.
Bom demais quando me vejo perdida nesse olhos....
... Quero ficar acordada e te ver acordar.
Quero te ter se perdendo em mim.
Com esses olhos vestidos de àgua.
Estarei...
Te esperando.
Quero contar meus segredos.
Venha até meu quarto e podemos assim conversar.

ass: Mar Santiago

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Bobeiras e Dialogos de Janelas

Mais rápido.
Ai.
Eu tô com pressa.
Tá.
Pensamento da menina:

O teu olhar bobo me revela.
O jeito de conversamos é diferente.
As bobagens os olhares.
Sim que estou apaixonada por um menino bobo.
Mais tenho medo de revelar.
Pois não sei se a vida será como um morango mesmo.
Como ele fala.
Só nós entendemos o que significa.
Esses dialogos de janela

ass: Mar Santiago

Vinho

Das cores apagadas.
Surgem as cores vivas o vermelho.
O vinho surge.
O branco reaparece.
Algumas bolinhas atuais somem.
Algumas outras propriedades aparecem.
Algumas outras se escondem.
Tudo se mistura.
Tudo não se mistura também
Das cores.
Das variações.

ass: Mar Santiago

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Enfim

Eu me enrolo sozinha.
Eu me embolo sozinha.
Eu fico grudada nas coisas.
Em pessoas.
Tempo à tempo.
Passo.
Depois repasso o tempo na coisas que percebo.
E das que não dou conta também oras.
Porque não.
Sozinha....
Entolada em fitas diferentes....
Em tempos diferentes...
Em espaços distintos.
Enfim....
Enfim.....
Enfim....
Infinito....

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Das nuvens

E toda saudade é bem vinda.
E toda lágrima às vezes é necessária.
E todo recordar é inesperado.
Toda data é para ser lembrada.
Todo o agradecimento é bem vindo.
Toda lágrima de sentir saudade.
Parece estranha na primeira impressão.
E tudo que imaginei que tivesse passado.
Talvez tenha.
Talvez não.
Ando rodeada de incertezas.
Hoje um dia cinza,chuvoso e de preguiça.
Tem uma pausa durante o dia...
Que vejo e percebo que o fato de não esquecer machuca.
Mais se eu não lembrasse machucaria mais.
E toda saudade é bem vinda.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Avessos

E de todos os avessos que visitei.
O meu era o menos provável de todos.
E nele que mergulhei e encontrei o improvável.
O imprevisível.
Um avesso que é avesso as coisas diferentes de tudo revisitado.
Um avesso que gosta de ser direito.
E não sei onde andará essas visitas intermináveis.
Desconhecidas.
De um avesso que não gosta de avessos.
Tudo está ao contrário.

Ass: Mar Santiago
E tudo que imaginei era o contrário.
Meu avesso está gritando....


ass: Mar Santiago

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Seriamente

E dentro de tudo há vazios.
Isso não significa que é ruim.
Mais hoje bateu uma coisa sabe.
Daquelas coisas que não tem como controlar.
Fica perdido.
Sem a gente entender.
E tudo que me move hoje me senti cinza.
Ah dá uma vontade de gritar entende.
Não?
Ei corpo que não quer reagir hoje.
Ei dentro tudo há vazios.
Sentir solidão é estranho.
Mais necessário né!
Crises não?
Não tenho paciência.
Sério.

ass: Mar Santiago

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Saudades?

Tenho saudades do céu azul de do sul de Minas Gerais. De volta ao céu nublado.
Mais de volta aos amores.
Aos abraços.
A família.
E os braços que sustentam coisas que só quem convive pode saber.
Sentir saudades é bom.
Por mais que pareça nostálgico.
Nostalgia também faz parte.

ass: Mar Santiago

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Beijos sussuros e tardes maiores

Queria tornar as tardes maiores.
As noites medianas.
E o amanhecer assim despreocupado.
Assim...
Preciso de alguém assim.
Que me alimente ao anoitecer e parta de manhã.
Não quero exigir.
Não quero prender.
Quero que venha.
Como um pássaro a noite me acalente.
Que o encontrar dos corpos seja concebido.
Que o suor esteja presente nas palmas das mãos.
Que o beijo suspire,ao parar de encontrar seus lábios nos meus.
Queria tornar os desejos mais presentes.
Queria mais ainda não posso.
Meu pássaro ainda não veio.
Mais eu espero....


ass:Mar Santiago

ATÉ

ATÉ ONDE VAI O PUDOR?
ATÉ ONDE?
OU NÃO VAI?
OU NEM FOI?
OU SERÁ QUE?
AHHHHHHHHHHH
TÁ BOM ENTENDI HOJE NAO ROLOU....
ROLOU POUCO MAIS O MOMENTO É NÃO ESMORECER....
NÃO,NÃO,NÃO.
SE TIVER QUE TER OUTROS MOTIVOS EXTERNOS SEIL LÁ.
VOU BRINCAR MAIS DE BONECA.....


ASS: MAR SANTIAGO PARA MAJÁ MONROE DEPOIS DA QUARTA MEIO DOIDA

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Lembranças...

Queria entender o motivo de sentir sua falta.
De na loucura me pegar pensando no caminho se ia te ver.
Nos detalhes mais minuscúlos de tudo.
Nas minhas brutalidades sem horas.
Menino bobo.
Menino bobo.
Hoje escutei de uma pequena fulô.
Que não devo ter medo de te amar.
Mesmo que seja como uma doce amizade.

ass: Mar Santiago

Esse Mar

Tanto Mar ainda se tem para descobrir......
Tantos mares tenho que me redescobrir.
Tantos,tantos...
Para não dizer que não disse.
Eu disse!
Tantas marés tem que abrir e engolir alguns barcos.
E devolver horas depois.
Tantos portos tenho que visitar.
Tantos cais.
Tantos. Tantos...
Mar ainda para se descobrir.
Tem que se cobrir novamente de amores e paz.
Ter que adentrar.
Esse Mar que ainda é novidade

ass: Mar Santiago

domingo, 7 de agosto de 2011

O Dia

O Dia de ontem se dividiu em três partes.

Bloco de Pedra.
Samba Pareia.
E aniversário rockabilly.
Tive tantas braços.
Cheiros...
Abraços
Beijos apertado....
O sorriso do meu afilhado....
Só posso agradecer a esse dia verdadeiramente colorido.

ass: Mar

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

SAL

Saudades que pairam pela ponta do nariz.
Pela ponta do nariz tudo se movimenta.
Nesse meu mundo.

ass: MAR SANTIAGO

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Dançar

Dançar.
Esse corpo feito de matéria.
Afinal tudo é matéria.
Tudo é aquilo que é mesmo.
Porém eu devanear,enlouquecer.
Nessa carne que é matéria.
Que sou.
Mulher lanças chamas?
Não sei quem sabe.
Mulher permeável.
Buscando.....

ass: Mar Santiago

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Igual

A lua hoje tem o sorriso do gato da Alice.
Meu coração anda desaparecendo se escondendo igual.


ass: Mar Santiago

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Confusões da volta para o treinamento

Então.....
Silêncio...
Olhei
Hoje foi um mergulho no mar sem volta!
De volta ao treinamento!!!
Deixa fácil!
Mais é mais.
Menos é menos.
E isso ficou pairando na minha cabeça a manhã toda.
De volta.
Cada vez mais.
Olhos abertos.
Pupila dilatada.
Vestir o figurino?
Não.
Ele entra em você.
É deixa fácil.

ass: Mar Santiago

sábado, 30 de julho de 2011

Saga da Menina Boba/ Recuperando-se

De todas as coisas que imaginei.
Nenhuma correspondeu as expectativas.
É comecei errado.
O acordo era não ter numa expectativa.
Eita! Disse o informante de férias.
Tinha que ser a menina boba.
De cabelos pássaros.
De todas as coisas que tive devaneios soltos.
Seu informante.
Preciso sentir o barulho do Mar.
Estou sentindo saudades.
Eita!
Tinha que ser menina de sonhos tolos.
Pois é sou eu sim!
Que digo e falo e discordo.
O informante olhou para menina e disse.
Bem vinda!
Está voltando ao normal.


ass: Mar Santiago

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Fichas

Ei ontem você prometeu que não iria doer.
Promessas são promessas.
Ei....
Não me machuca assim não.
Não dilacera assim não.
Não perturba não.
Oi dói de uma vez só.
Vai logo.
Já vai fazer me afastar de tudo.
Tudo.
Ei....
Ei.....
Coração frouxo.
Bobo.
Que teima em sentir o que não é seu.
Não é meu.
Repito milhões de vezes para ver se a ficha cai.

ass: Mar Santiago

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Saga Menina Boba

Tolices de uma menina boba.
Que tem sonhos tolos.
Que vive por dia colorido vivido.
Não posso me queixar.
Mesmo sem amores declarados.
Invento amores pássaros.
Menina que vive no mar.
E quando avista um farol se lança a nadar.
Pois ainda tem medo de ficar só.
Será?

ass: Mar Santiago

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Tolices

Eu sou menina boba.
De tolices bobas.
Que se apaixonou por um moço mal humorado.
É.
As coisas não são fáceis.


ass: Mar Santiago.


Ela perguntou para ele.
E ele disse.
Eu não sei.
Deixa,Deixa as coisas irem?
Afinal de contas do que o moço dos olhos negros se referia.
A menina boba de tolices bobas.
Apenas olhou e disse.
É deixa......

ass: Mar Santiago.


A menina suspirou na janela do quarto.
E apenas profetizou a lua.
Seremos amigos então.

Ei moço

Ei moço sou palhaça!
Só sei ver a vida com a leveza que ela deveria ter.
Não sou moça que fala francês.
Brinco.
Alias brinco com tudo.
Ei moço sou palhaça!
Agora acho que você entende isso.


ass: Mar Santiago

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Eu Menina tola de tolices bobas e sonhos bonitos

Sim.
eu estou aqui tão forte.
Ei senhor de lembranças.
Do meu cabelo saem passáros.
Sim eu vi.
Não lhe inspira curiosidade?
Talvez.
Então volte.
Quero recordar.
Menina,menina.
De devaneios tolos e tontos.
Você por inteira é passáro.

Mar Santiago

Absurdos

Guardar coisas.
Mais sou pessoa.
Caro informante de férias.
Guardar em outro lugares.
Não sou gaveta,nem armário.
Nem se fosse.
Guardaria.
Acho um absurdo esconder coisas.
Tudo foi feito para ser mostrado.
Até o que consideramos censurado.
Não guardo.
Nem como objeto.
Nem como objeto- pessoa.
Moça de devaneios tolos.
Seja menos racional.
Quero que guarde.
Não me perguntes
O quê?
Como?
E onde?
Sabe a resposta.
E não sou eu informante de más noticias.
Como me nomeou.
Que vou lhe explicar.
Ei!!!!!!!!!!!
Não vá.
Não posso ficar.
Mais gostaria que sim.
Mesmo não sendo agradável.
É por você, senhor das lembranças.
Portador de más e loucas noticias.
Que estou entendendo esse mundo.
Já sabe o que é guardar?
Não.
Mais meu corpo sim.

ass: Mar Santiago

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Ei.
Oi?
Que houve?
Ih más noticias.
Nem venha meu caro informante de desalentos.
Estou de férias.
E não quero problemas....
Isso aí.
Férias agora momentos de indecisão,dúvida, amargueza.
Fora.
Estou de férias.
E me recuso já coloco isso em letras Garrafais.
ME RECUSO DE PROBLEMAS!!!!!!!!!!
AHHHHHH
Me sinto bem melhor.

ass: Mar Santiago

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Coisas

Há coisas que se consolidam apenas com adentrar da madrugada.
Uma oração.
Um consolo.
Uma solução do inesperado.
O pensamento de formigas.
A liberdade dos pássaros.

Mar Santiago

terça-feira, 19 de julho de 2011

Tudo seu Outrora não quisesse

Ainda tenho tantas coisas.
Pra te dizer.
Em tudo que penso vem você.
Nos pensamentos absurdos e avassaladores.
E o que surgem são dores no corpo.
Noites péssimas.
Mal dormidas.
Doloridas o travesseiro ensopado de lágrimas.
A cabeça pesada.
E aS palavras lidas.
COMO DOE.
COMO MACHUCA.
COMO PERTURBA.
FAZIA TANTO TEMPO
Que isso não acontecia...
Isso se deu.
Eu permiti.
Eu deveria saber.
Eu deveria ter me alertado.
Eu deveria não ter amado.
Eu deveria ter me afastado.
Eu deveria não ser humana.
Mais sou.


ass: Mar Santiago

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Oração ao caminhar

Eu peço, que me guie destino.
Assim como a carta do louco.
Sem muito rumo,sem muito apego.
Olhando as lembranças,no bolso das roupas usadas.
Das vestes não tão colorida.
Largando a cada quilômetro,fotos,recados e sonhos antigos.
Com uma mala pequena.
Mais repleta de sonhos.
Sem muita esperança.
Mais acreditando nos poucas restantes.
Ao pedido de uma louca.
Peço:
Ensina-me a caminhar.
ass: Mar Santiago

Das cores

Das cores do mês de julho.
Ressurgem algumas nas vestes da colorida dos olhos de encantar bobos.
Ela está parada,revendo o lugar.
Lembrando o quanto é bom estar.
No seu canto de encantamentos e sonhos com cores.
Ela ainda observa o moço dos olhos negros e barba por fazer.
Ele sempre mal humorado.
Ela ri pois mesmo assim, lembra de como se encantou por ele.
As coisas se modificam,não digo que a menina colorida não sente saudades.
Mais ela não tem tempo de ser donzela.
Pois sua guerreira grita.

ass: Mar Santiago

Toda a Ausência

jÁ que toda a ausência é necessária.
Me faço distante.
Sim é justo se distanciar,do que não lhe pertence mais.
Porém se tem dúvidas se já pertenceu algum dia.
Pois não era de posse.
Nem tanto conquistado.
Foi algo surgido.
Assim como o requerimento da ausência.
Assim como o pedimento de não apegar-se.
Ou de não esperar nada,pois o machucar-se seria grande.
Pois bem não esperei.
Mais quis.
E pediu para que o perguntar se colocasse.
Para que?
Me diga. Se não interfere nos atos de estar com outra pessoa.
Tão pouco em me fazer presente no teu caminhar novamente.
Já que a ausência é precisa.
Me coloco a observar.
Dolorosamente.
Recados inodoros.
Porém ali com seu nome.
E dizendo que está se fazendo presente na vida de alguém,que não sou eu.
Entende o motivo da raiva.
Eu tenho que procurar.
Se foi você que me procurou primeiro.
Entende que essa distância faz mal.
Entende que não esperar nada.
Me fez tão mal quanto.
Entende.
Ou não faz sentido algum para você.

ass: Mar Santiago

Cartas para Julieta

Eu sofro muito por amor.
De maneira exacerbada.
O último amor que tive foi o moço de olhos negros,barba por fazer e pele branca porém queimada do sol.
Ele tem o coração na batida da alfaia.Mais explico agora o motivo da carta.
Ele quis outros amores,o meu não bastava.
Peço através desse recado que ajude a esquecê-lo;pois 5 meses já passaram.
E não quero esperar mais,pela volta dele.

ass: Mar Santiago para Julieta

sábado, 16 de julho de 2011

E sim.

E sim.
Saber deixar ir embora.
É um dos meus grandes desafios.
Eu tenho tanto medo de ser abandonada.
Que deixo de lado.
Abandono aos poucos para não sofrer.
É esquisito né.
Eu sei.
Enquanto sei que está trocando juras de amor com outro alguém.
Eu escrevo.
Pra ver se as dores amenizam.
Estou ficando com medo de novamente.
Me isolar.
Gosto tanto que prefiro não pensar.
Que você está mais feliz com outra pessoa.
Sim é importante eu saber deixar ir embora.
Acho que não sei cuidar.
Acho que não sei....
Talvez as pausas agora ajudem.
Talvez.
Pausas,esquecimentos preciso me dedicar....
Sim....
Sim...

ass: Mar Santiago

A Guerreira

A guerreira está de férias!!!

Ah...... descanso para o Corpo-Mente...
Sim é uma junção só.
Não separo as duas coisas.
Não mais.

ASS:MAR SANTIAGO

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Na contagem....

Na contagem.
Faltava um mês,semanas,dias.
Um dia.
Não que eu não goste de estar.
Mais estou cansada.
Demais.
Estou....
Preciso dos pés descalços.
Dormir mais pensar menos.
Na contagem.
De colocar as idéias em ordem e relaxar pra voltar no pique.
Sei que vou sentir falta.
Mais estou sentindo saudade de estar um pouco pra mim nesse dias também.


ass: Mar Santiago

quarta-feira, 13 de julho de 2011

De onde surgiu





Surgiu da idéia de tirar um "R" Do nome semi consolidado.
E causar alguma coisa no sobrenome.

Enfim agora sim!
Bem Vinda!
Majá Monroe

terça-feira, 12 de julho de 2011

Em um ponto de cansaço do pés

Ser guerreira....
às vezes cansa....
outrora pertuba.
Não tenho paciência para ser donzela.
Me cansa....
Pertuba tentar se entender.
É tudo tão confuso que chega ser claro.
É tudo tão consolidado que causa medo.
Eu não tenho perfil de princesa.
Não tenho.
Ser guerreira é assumir as coisas,causa desespero.
Olhar para o lado e saber que não há ninguém que possa te ajudar.
Hein!
Não tem!
Não faz nada.
Ou apasigua deixa calar por conta.
Dorme esquece.....toca uma toada.... enlouqueça,vibre,viva,danç​e.......
Ou simplesmente não faz.
E continua a se permitir ser guerreira.

ass: Mar Santiago
Ser guerreira....
às vezes cansa....
outrora pertuba.
Não tenho paciência para ser donzela.
Me cansa....
Pertuba tentar se entender.
É tudo tão confuso que chega ser claro.

Mar Santiago

domingo, 10 de julho de 2011

Noites

Saudades das noites assim.
Sem muitas preocupações.
Sem muito dizeres.
No qual os meus pés falam por mim e apenas isso.
Meu corpo toma espaço
Como é lindo.
Esse caminho de flor.
Daqui posso ver....
Todo o caminho que fiz.
Com flores,cores e música.
Ai saudades de noites assim!!!!
Que me façam bem!

Mar Santiago

sábado, 9 de julho de 2011

Enquanto escrevo

Como gosto do som da rabeca ao fundo.
Enquanto escrevo.
Talvez uma sentença.
Uma oração.
Uma prosa uma música um verso.
Para você.
Para os amores.
Para os sonhos.
Para as ilusões.
As alusões.
Os devaneios.
Os pesadelos.
As modificações.
As alterações de batimento cardíaco.
A falta de ar.
O excesso de àgua.
O excesso de ciúme.
A falta de amor.
Tudo acontece ao som da rabeca ao fundo.
Enquanto escrevo.

ass: Mar Santiago

Música Pirulito/Comadre Fulozinha

Essa roda é nova que vem de Sergipe
Sapato americano, cabelo a pirulito
Cabelo a pirulito, sapato americano
Essa roda é nova, é de sergipano
Lê lê ô saudade
Lê lê ô saudade
Vou-me embora e tu fica
Esse teu ficar me mata
Lê lê ô saudade
Lê lê ô saudade
Pra te levar eu não posso
Pra te deixar ma faz mal
Essa roda é nova que vem de Sergipe
Sapato americano, cabelo a pirulito
Cabelo a pirulito, sapato americano
Essa roda é nova, é de sergipano
Lê lê ô saudade
Lê lê ô saudade
Vou-me embora e tu fica
Esse teu ficar me mata
Lê lê ô saudade
Lê lê ô saudade
Pra te levar eu não posso
Pra te deixar ma faz mal

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Mar Santiago Em Dias de Tempestade

Se me queres então vem!
Vem....
Atravesse o outro lado da comodidade.
E perceba que o caos também tem momentos de calmaria!
Se me queres então vem.
Desafia seus medos.
Atravessa a linha dos cobertores.
E veja que o turbilhão é tentador.
Eu te olho querendo corromper.
Palavras para que virem ações.
Eu vi você ali de frente me olhando.
Vem!
Se desafia.
Vai me encara.
Encare os desejos que vi nos teus olhos.
Menino...
Olhos d'àgua.
Ou olhos de terra?
É tão acomodado que tens medo de sair do porto seguro.
Ou não tem vontades de ver o Mar em dias de tempestade?

Mar Santiago

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Conviver

Compartilhei contigo pois achei interessante lhe dizer.
As coisas que me movem.
Seu moço dos olhos negros.
Mesmo que a resposta seja.
Em uma frase se resumindo que legal.
Quero apenas dizer que meus dias são lindos.
E que amanhã será também.
Por mais que pareça suicídio ou tentativa de aproximação estarei no mesmo espaço físico que o seu.
Compartilho contigo pois é um ser humano acima de tudo.
Que convivi por perto.
E que pude contar um pouco dos meus sonhos.
Alias você via nos meus olhos.
Alias você conviveu comigo moço dos olhos negros.

ass: Mar Santiago

A PORTA E OS QUARTOS DIA MUITO ESPECIAL.

Um dia diferente.
A rotina muda.
Não vou treinar hoje sob a custódia de um Mestre.
E sim de um Doutor.
Besteirologista.
Na profissão ao qual desejo e percebo através de hoje que quero seguir.
Nunca eu menina havia entrando em uma UTI.
Nunca eu menina tinha visto cenas tão belas e marcantes ao meus olhos.
Se meus olhos tirassem fotos.
Seriam apenas fotografias.
Mais tá arquivando no meu corpo.
Cada quarto.
Cada estado.
Cada jogo que eu e mais um parceiro a paisana observamos.
Vendo três palhaços.
O camarim 4x4.
Maquiagem simples.
Coração e estado aberto.
Instrumento que se inicia para preparar ouvidos dorminhocos.
Crianças que mal se moviam.
Se descobre que há uma bailarina.
Pessoas que se modificam através do dia.
Por onde eles adentram.
Pedindo permissão.
Podemos entrar?
Nós como aprendizes observamos e nos encantamos juntos.
Com a cena feita pela porta de onde surge um fundo do Mar.
Uma vaca que canta dança e dorme e embala uma criança.
Um corredor que parece de outra galaxia
Tudo fonte de alimento.
Seja um aniversário de doutora peculiar.
E doce.
Ou uma mexerica visível ao paladar invisivel aos olhos.
Tudo termina dessa rotina de ir ao hospital.
No bar laranja.
Aonde palitos de dentes são os desafios.
Agradecemos aos Mestres,Doutores,Besteirologistas e a Formação.


ass: MARCELA CABRAL SANTIAGO

terça-feira, 5 de julho de 2011

Sim

Sim.
Me afastei hoje completamente de você.
Pensei que fosse morrer de saudades.
Mais não.
Ausência passageira.
Será que foi ilusão?
Ou eu estava sonhando; que tudo isso aconteceu mesmo
Menino bobo foi um sonho?

ass: Mar Santiago

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Oração ao Amor?

Traga-me tudo que houver sintomas de amor.
Que esteja diagnosticado como tal.
Não venha com paixões desenfreadas.
Tão pouco devaneios de madrugada.
Traga-me ventos gélidos.
Povoados desse sentimento universal.
Não me venha como ventos ralos.
De atração.
Tem que ser amor.
Universal.
Platônico.
Não precisa ser de longa data.
Mais que seja comprovado como amor.
Se tiveres dúvidas.
Olha para o céu ao entardecer.
É desse tipo de amor e acontecimento.
Ao qual me refiro.

ass: Mar Santiago

Motivos de Mar Santiago

De todas as conversas que tivemos essa foi, a mais franca.
Não sei se por conta do meu cansaço.
Ou pelo medo que se iniciou a conversa.
De toda às vezes, foi essa que me senti mais honesta contigo.
Dizendo meus motivos e ouvindo os teus.
De todos os momentos esse foi o mais importante.
Talvez agora possa dizer adeus.
Talvez eu consiga dizer.
Não foi sentimental a conversa.
Mais necessária.
Fazia tempo que queria conversar sobre.
Mais a ausência.
A raiva.
E o ciúme.
Não deram espaço.
Livrai-me de tudo que for grosseiro.
Acho que que esse é um apontamento de caminho.
Para os próximos dias.

ass: Mar Santiago

domingo, 3 de julho de 2011

Gotas

Senti sua falta.
Diferente de todos os outros dias.
Senti.
Gotas de ausência.
Senti.
Falta do seu olhar doce.
Da sua falta de noção qualquer.
Senti.
Ausência como garoa fina que cai na Avenida Paulista.
E vai modificando a paisagem.
Senti sua falta e é tudo que tenho pra dizer entende.
Não vou te ver amanhã.
E o que é fato é isso.
Apenas isso sem mais delongas.
Sinto...
Senti.
Diferente?
Não sei sinto a ausência em outro lugar.
Pra mim amanhã irá ficar mais nítido.
Gotas de Ausência....


ass: Mar Santiago

sábado, 2 de julho de 2011

Chá

Sim.
Enquanto tomo café e me preparo para adormecer....
Tudo se acalma no corpo.
Que será presenteado com um pijama.
E um chá de gripe ruim.
E importante.
É amanhã ter que acordar cedo.
Sim para cumprir a rotina desse final de semana.
Sim Adormecer.....
Dormir,Dormir
Talvez sonhar rapidamente..
Ou não apenas cair em sono e acordar meio que de susto para não me atrasar.
Sim...
Prefiro estar ocupada.....
Penso em menos coisas inúteis.

ass: Mar Santiago

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Fugir

Como pode?
Me pergunta Caio Fernando Abreu.
Que dois polos opostos sintam atração.
Eu me pergunto a mesma coisa.
Enquanto me indagava sobre a questão.
Ao meu lado olhava e me perguntava.
Como pode alguém ser tão doce.
E eu tão brava.
Alguém tão surreal...
E eu fugindo daqueles olhos.
Medo sem classificação.
Eu querendo querer me perder ali naquele instante de discussão.
Eu dramática?
Talvez.
Tão dramática que soa ao cômico.
Como pode eu correr tanto.
E me afastar tanto.
E você está ainda ali.
Não sei a nomenclatura pra isso.
Gostaria que tivesse.
Enfim agora pergunto eu
Como posso correr tanto do amor.
Se já estou apaixonada!


ass; Mar Santiago

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Esperar

Desfaz vento! A saudade que toma conta a noite.
Toma conta do desespero que a noite causa
Por falta sua que surge assim nos sonhos da menina em cores.
Ultimamente seu moço não tenho usado tantas cores assim.
O inverno se apropriou de mim.
Assim sem mais ou menos.
Perguntar.
Questionar
Indagar.
Sim essas palavras repito muito me lembram.
Dos dias de insônia e choro.
Desfaz!
Eu peço.
Senhor Vento leva pra longe essa saudade que surge na madrugada fria.
E solitária em São Paulo.
Desfaz vento!
Os pensamentos incoerentes.
Traga vinho um cigarro.
Um remédio.
Você Talvez.
Faça algo pois esperar por tudo sem resposta alguma é o pior sentimento.

ass: Mar Santiago

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Nem por um segundo

E os pensamentos vão e vem.
Nessa cabeça que não para.
Nem por um segundo.
Se meus olhos registrassem tudo.
Seria um filme.
Com cores e signos.
Ícones e mensagens subliminares.
E os pensamento passam na cabeça e saem pelo nariz.
Os pensamentos são ações.
MAIS QUAL QUALIDADE TEM ISSO?
NÃO me expresso apenas com os olhos.
Meu maléolo respira e triangula também.
Não sou uma foto 3x4 que você carrega quando quer ver algo no meu rosto.
Eu sou por inteiro.
Expressão.
Minha coluna respira e sorri pra você.
Sim
Nem por um segundo deixo de me expressar.

Mar Santiago

terça-feira, 28 de junho de 2011

Diário do Descobrir do Meu corpo. PARTE IX A Despedida....

Frio...
Aqueçam o corpo...
Frio Chão gélido.
Demonstração .....
Música de Balé
Imaginar uma barra e plie eleve...
Desliza pés calcanhos....
Até o chão..
Manipular e conhecer o pé.
Fíbula,Tibia...
Maléolos....
Manipular no corpo do outro conduzir...
Recriar...
Pausa...
Intervalo e coluna de alpinos....
Segunda parte....
e última....
Misturei informações.
Nariz o tempo todo.
Uma música que embalou
Todas as aulas.
Anos 80....
Continuo a pesquisa apartir de agora só.
Mais agradeço pelo estimulo.

Diário do Redescobrir do Meu Corpo; finaliza aqui pela saga do FPJ junto com a aula de corpo.
A pesquisa agora é minha individual.
Atriz,Palhaça e Pesquisadora

Marcela Cabral Santiago

Vontades de Mar Santiago

Ora e outra
Bate aquela vontade de ter.
De te querer...
Assim....
Simples sem muito desafio.
Te ter...
Assim simples.
Sem... muita confusão.
Ter pra estar perto...
Ora e outra.
Me sinto só sem muita explicação.
Ora e outra silencio.
Pra ver se as vontades passam...
Confesso nem sempre se distanciam.
De tudo que imaginei....
O que não havia passado pelo meu pensamento.
É o que aconteceu.
Confesso estou feliz!

Mar Santiago

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Retorno de Mar Santiago

De volta ao eixo.
Procurando apenas o que traz prazer sem dor alguma.
De volta ao centro.
Gaia me arrancou um pouco das nuvens e me aterrou....
Terra
Molhada e Seca
Mais ainda sim Terra.
Minha mãe me trouxe de volta a consciência; de que é necessário ficar só.
Estou.
Fechando portas para o amor.
Pois sei que ele não tem espaço por aqui.
Pra dividir com tantas e tantas outras coisas.
De volta ao eixo,centro
De volta a mim.


ass: Mar Santiago

domingo, 26 de junho de 2011

A VIAGEM

O céu mais estrelado que já vi.
Em contato com Gaia.
Em contato com os Deuses.
Independente do cansaço.
Renovada.....
Hum...
O cheiro de árvore.
O céu azul pela manhã.
A comida....
Essa Minas Gerais assim nunca vi.
De volta a cidade do caos
Do barulho e da garoinha fina na minha janela.
É bom estar em casa novamente.

Mar Santiago

terça-feira, 21 de junho de 2011

Diário do Descobrir do Meu corpo. VIII

Conversa.
Roda.
Questionamentos.
Muitos.
Enquanto Palhaço
Enquanto Artista.
Como?
O que?
Por que?
Processo ou Apresentação.
Café,pausa,reflexão.
Um cigarro mais uma pausa.
Temos uma hora.
O corpo está frio mais preenchido de todas as informações.
Se jogar no abismo.
Mais sempre se tem algo.
Tirar colocar o Nariz.
Estar aqui ou lá.
É estar........
O vazio.
O preenchimento.
Corpo.
Todos os comandos.

ass: Marcela Cabral Santiago

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Mar Santiago arrumando as malas

Ei menina.
Estou de malas prontas.
Vou viajar.
Para onde?
Para um lugar encantado, retorno daqui alguns dias.
Menino Bobo!
Oi....
Tô sentindo falta das brigas e conversas demasiadas.
Voltamos a nos afastar.
Acredito que foi um período passageiro de encontros.
Será?
É bem provável me peguei olhando pra você apenas na distância.
Mesmo com as tentativas de aproximação.
Eu não quero me machucar.
Somos opostos demais.
Pra dar certo.
É por isso que vai viajar?
Não exatamente.
Mais vou aproveitar pra refletir esses dias.
Sobre tudo.
Caminhos distancias e principalmente sobre você.
Menino...
Ai olhos d'água e corpo de terra esse menino bobo.

ass:Mar Santiago

domingo, 19 de junho de 2011

Eu sei.... Saga de Descobertas de Mar Santiago

E eu que pensei, que o inacreditável era impossível.
Me deparei pensando,sonhando e desejando que fosse real.
Ei menino bobo!
Ando sonhando contigo coisas bobas.
Sem muitas explicações.
Me pego lembrando de você,nas manias improváveis de ser.
No domingo pela manhã.
Acordo exausta do dia anterior.
Mais me animo.
Pois a semana começa e vou poder olhar os olhos teus.
Talvez agora apenas observar de longe.
Pois sei que já estou encantada.
Me afastar sem dar muito a entender os porquês.
É melhor que seja assim.

ass: Mar Santiago

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Ando

Ultimamente nem me sinto.
Ando.
Não entendo o que acontece.
Ultimamente nem me sinto.
Nem sei se estou alojada nesse corpo.
Cada vez que inicio uma conversa com você.
Me sinto tão fora de mim.
Tão ausente.
Ultimamente nem me sinto.
Não me vejo não sei o que acontece.


ass:Mar Santiago
Eu queria menos conflito
Quando o assunto é você.
Já não sei se vou continuar evitando tudo que me leve de encontro ao seu.
Tudo bem!Eu não tenho outra pessoa pra colocar no seu lugar.
Eu não tenho ninguém no momento,que me deixe assim apaixonada.
Ninguém tem seus olhos negros.
Não há outro moço de olhos negros como você.


ass:Mar Santiago

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Doce

Ei menino doce e bobo de olhos d'água e corpo de terra.
Como me faz rir.
Me faz bem...
Cada vez percebo mais que gosto da sua presença.
Independente de nomenclatura alguma.
Gosto....
Menino bobo
Que me perco nos olhos
Toda vez que brigo contigo.
Um doce amigo....
Esse que o outono me trouxe.


ass:Mar Santiago

terça-feira, 14 de junho de 2011

FLORIR

Saudades dos Dias Coloridos!!!
Dos Batuques.
E da leveza dos pensamentos!
Não quero mais o embrutecimento dos dias cinzas.
Do frio e o silêncio.
Do pesar das obrigações.
Quero apenas os dias preenchidos com cores.
Desabafo pois eu não sei pra onde corro.
Se morro de saudades,assim só.
Ou se há algum resquício de lacuna em mais alguém.
Será que sou eu via que os dias eram coloridos.
Ou talvez eu tenha me afastado das cores pra não sofrer.
Na sombrinha colorida.
Acho que ia me ferir mais do que com os caboclos de lança.
Mais que os dias passados.
Eu só decidi não sofrer.
Mais ando sentindo falta das cores nas minhas vestes.
Aonde está?
A menina de roupas coloridas?
Está ressurgindo...
Aproveitando a calma do Outono.
A devassidão do inverno.
Aguardo a primavera para florir novamente.

ass: MAR SANTIAGO

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Aqui

Tem uma sábia
Que está desesperada para sair, e tomar conta de mim.
Tem alguém aqui dentro.
Que se recusa mendigar atenção alheia.
Tem alguém aqui que não vai me deixar enlouquecer.
Tem uma sábia
Que toma conta de mim,mesmo que eu não saiba
Tem alguém que tem orgulho ainda.
Tem alguém que quer atenção,mais não assim.
Tem uma mulher aqui dentro.
Que está explodindo de raiva, e não vai fazer barulho.
Tem uma fera....
Que está no auge do desespero de gritar.
É capaz de atacar se necessário for.
Mais tem alguém que em algum lugar me acalenta.
E me diz que não há motivo para o choro.
E não há mesmo.
Pois homens vão e vem.
Minha menina....
A felicidade adquirida como o saber viver é eterna.

ass: Mar Santiago

domingo, 12 de junho de 2011

Um dia azul

Na manhã de domingo.
Acordei olhei para o lado a cama quente, mais apenas eu.
Um sol lindo azul pela janela vejo.
Sei que o moço dos olhos negros está sempre aonde esteve.
Sinto falta.
Sim.
Mais percebo, que as dores vão diminuindo com os dias.
Vão sendo esquecidas.
Acalentadas.
Diminuídas....
Não vou passar o dia lamentado o que poderia ter acontecido.
Vou aproveitar o que a vida anda me RESERVANDO
Um dia azul como hoje vou contemplar.


ass: Mar Santiago
Tudo é dança nesse meu olhar singelo de domingo.
Talvez seja necessário cumprir com essa vontade, ou cumprir com essa mesma vontade sem sair do lugar saindo.
Pois tudo já está me conectando para isso.
Desde o minuto que abri os olhos hoje pela manhã.

Mar Santiago

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Velhos Hábitos

Em desapego dos velhos hábitos!
Me disponho.
Me entrego.
Me vejo e não me reconheço.
Ando pesada ultimamente.
Sem tanta leveza.
Preciso ver as formigas passeando,pela minha corrente sanguínea.
Preciso ter a boca quente próxima a minha.
Ei não quero mais brigar.
Será que não percebeu.....
Não quero....
Em desapego dos velhos hábitos e dos pesadelos noturnos das noites passadas.


ass:Mar Santiago

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Guerreira Mar Santiago em cansaço

Ás vezes cansa ser a guerreira o tempo todo já diria uma pequena fulô.
Eu lhe digo pequena....
É ás vezes cansa
Outrora dói.
E vez em quando a gente lembra que ser donzela é importante.
Mais não posso ter os sonhos nas nuvens.
Se meus pés não estão aterrados.
É....
Ás vezes cansa.
Tentar ser doce....
Doe,pesa,olhar para o lado.
E não ter em que se aconchegar.
Contar as besteiras do dia.
As caídas de ficha.
Os beijos surpreendentes.
Não sei se ainda tenho força...
talvez precise de férias....
Ou de um novo amor...

ass: Mar santiago

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Pequenas....

Se as minhas palavras tivessem força para serem pronunciadas.
Saíram quebradas.
Como as ondas do Mar...
Assim...
Sem muita força.
Sem muito porques
Sem muito o que dizer.
Seria....
Palavras.
Antes fossem dança.
Antes fossem canção
Mais nada é.
Mais do que palavras.
Ainda com lágrimas.
São....
Pronunciadas... de voz baixa
No cantinho do quarto
Na frente do computador.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Poesia?

Se tudo fosse poesia....
Sem amores liquido...
ou passageiros...
Outrora fosse apenas amor.
Amor sem muita explicação.
Sem muita devoção,sem cobranças.....
Ainda assim é poesia.
Assim mesmo não deixa de ser poesia....
Será que deixa de ser amor em algum momento?
Ou nada do que realmente digo,faz sentindo.
Talvez não faça sentindo nenhum......
Seja apenas assim.....
Passageiro acredito.
Assim como os pássaros são...
Assim...como um vagão de trem espero.....
Que passe e pare em alguma estação...
Esperando...


ass: Mar Santiago

domingo, 5 de junho de 2011

Me ensina....

Eu buscando novos rumos.
Entendendo que os antigos não se eliminam.
Mais não são da mesma forma.
Assim tão doce.
Assim tão calmo.
Há trocas mais não da mesma forma.
Há palavras mais não com o mesmo gosto na pronúncia.
Me ensina a modificar...
Esse pensamento preso nas coisas,que já foram.
E eu ando percebendo.
Mais insistindo...que voltem como antes.
Me ensina com teu jeito desvairado.
Menino doce....
Buscar novos rumos..
Outros gostos.
Outros olhares.
E palavras modificadas.

ass:Mar Santiago

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Como quero me perder nos olhos d' água.
E sossegar na tua boca,no teu corpo
Ai menino o que faço com tudo isso.
Ignoro...
ou desmorono...
Fico apenas imaginando.
Duas energias tão opostas
Encontrando-se
Se perdendo...


ass:Mar Santiago

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Sufoco

Meu Deus que confusão é essa
Nos meus pensamentos...
Não consigo criar.. estou com medo
Tenho algo me boicotando
E acho que sou eu!
Socorro!
Acho que ando me preocupando demais...
Vou ligar o FODA-SE e tudo bem
Tudo bem?
Tudo ótimo
Mais no meio da noite os pesadelos voltam
Com perguntas tão...
Dificeis de responder
Tipo como dou jeito
Tenho que crescer mais tenho medo
Isso anda atrapalhando minha idiotice...
No fim do dia cansada de pagar contas,pessoas,dar conta,ligar procurar.
Me vem respostas que talvez sejam luzes no fim do túnel...
Será?
Espero que sim...
Pelo menos o embaraços irão diminuir...

ass:Mar Santiago

terça-feira, 31 de maio de 2011

Diário do Descobrir do Meu corpo. PARTE VII

Aquece as mãos.
Aquece o outro
O corpo do outro com as pontas dos dedos.
Aquece cada parte imaginável que eu só não prestaria atenção.
Aquece Tibia,Fíbula,Femo,Bacia,Clavícula,Escapúlas....
Aquece o couro cabeludo.
Trocou aqui mesmo.
Agora o outro o corpo do outro.
Trocou resiste... aos comandos do parceiro...
Traição.
Negar.
Chão... Acontece no chão.
Trocou....
Rolamento eu me apoio no corpo do outro uso de alavanca.
Não crio força eu já estou.
Estar?
Estados.
O corpo são compostos de vários estados.
O palhaço é feito de estados.
Olhar pulmão
Olhar coração.
Olhar fígado.
Morrer todos os dias....
Para renascer no outro.
Auto ficção?
Cena para cena.
Para o palhaço.
Coluna iluminada.
Afetada.
Não me deixar afetar.
Trocou agora em trio aquece....
Trocou resistência eu me locomovo na pausa permeio....
Conversa...
Nariz...
Tudo isso e mais um pouco no ato de experimentar.
Trocou...
Trocou?
Acabou por hoje.


ass:Marcela Cabral Santiago

Se afobe não

Encontros e desencontros de palavras.
Gestos que não sei aonde se encaminham.
Se encaminham?
Se tem finalidade...alguma
Sem fim eles tem.
Diacho de tantas perguntas essas meninas?
É que tenho muitas questões...sabe
Muitas muitas mesmo.
Tipo porque o beijo não acontece logo.
Se olhos se cruzam tanto?
As bocas se olham sabe.
Tem vontades...
Muitas
Digo....pela parte que conheço.
Diga mais menina
Tudo bem relato....
Os olhos da menina se perdem no corpo feito de àgua na visão...
E se perde tanto.
Que não sabe voltar....
Isso acontece por um motivo.
Sim minha menina isso se chama paixão nascendo....
Será?
É minha menina mais não se afobe muito não que a paixão não é pra já.
E por quê não seria?
Você tem que abandonar velhos sapatos.
Para adquirir novos.

ass:Mar Santiago

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Vê se te enxerga menina

Ando correndo do querer.
Me prendendo aos quereres antigos.
A boca,o toque,os olhos.
Ei menina!
Não percebe que a página do seu livro virou?
Hein?
Pergunta a moça das vestes engraçadas e coloridas.
É o seu passáro moça já está sob o céu de outras pessoas.
Mais é que eu...
Ei menina,não se deu conta
Que seus olhos andam brilhando por outro rapaz.
E que pensa nele de modo diferente.
Que ri do que ele te diz.
Fica brava quando não o vê.
Feito de àgua é sua visão senhora, não posso amar alguém assim.
Porque?
Ele àgua minha menina,outrora terra e na maioria das vezes um cais.
Eu tenho medo....
De que?
De alguém que lhe faça bem?
Não sei responder não senhora.
Comece a pensar então....menina.
Pois todos estão vendo os seus olhos de encantamentos.
Será que você não se enxerga mais?
Vá cuidar de teu jardim.
Diz a senhora para menina de vestes coloridas.


ass:MAR SANTIAGO

domingo, 29 de maio de 2011

....

Eu queria que fosse passageira,sem importância e menos aparente
Mais estou com sintomas diagnosticados de felicidade.

ass: Mar Santiago

Em uma noite fria em SP conversas entre amigos no ônibus aquecem o fim do dia.

ass: Mar Santiago


Eu sonho acordada debaixo do sol de domingo,me deparo com seus olhos negros invadindo minha visão debaixo de um coberta fina.

ass:Mar Santiago

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Bobeiras de Mar Santiago

Ei menino bobo!
Que me faz rir à toa.
E tem um jeito inocente lindo.
Ei...
Como é bom me pegar no teu sorriso.
Nas brincadeiras sem fim.
No constrangimento dos olhos.
E o esbarrar dos corpos sem querer.
Feito de àgua a visão que predomina.
O desajeito ajeitando-se.
O querer correndo.
O gostar desconfiado.
O quase beijo.
Ah!!!
Desculpa....
Bobo...
Bobo...
Nem percebe que anda fazendo essa menina colorida desaprumada, gostar de estar.
Será que percebe e finge?
Ou não sabe mesmo que ando vendo com outros olhos....
Ahh menino bobo!


ass: Mar Santiago

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Criar...

Sou poetica
Atrapalhada
Doce e Arisca
Menina e Mulher.
Trejeitos,Jeitos Desajeitos...
Arrumada desarrumada...
Acordando dormindo.
Descobrindo o que me move.
O que eu quero dizer ao mundo.
é muito?
pouco?
Brincando de criar...

ass:Mar Santiago

terça-feira, 24 de maio de 2011

A moça e o Pássaro do Olhos Negros

Essa noite.
Apenas essa noite.
Fica aqui nos meus sonhos não vai.
Fica.
Fica aqui cuidando do meu sono.
Quem sabe você gosta de ficar...

(Pausa)

Margarida o que tanto lê?
Leio conversas apaixonadas de um passáro de olhos negros, e de uma moça de vestes coloridas.
Oras sabe que os passaros são livres.
Sei mais é bonito ver que ele queria ficar com a moça.
Eles estão juntos ainda?
Não o pássaro decidiu continuar a viagem.
E a moça?
Tá contando histórias agora.

ass:Mar Santiago

Eu queria...

Eu queria ser mais doce mais tenho receios de mais....
Eu queria ser mais delicadas às vezes.
Mais o medo de me fragilizar é grande.
Eu queria correr atrás de um amor.
Mais já chorei demais nas noites passadas.
Eu queria que quando você me olhasse realmente visse o que quero.
Mais tenho medos de serem expectativas.
De uma menina boba.
Com sonhos amorosos absurdos.
Eu queria brigar menos.
E estar mais perto
Mais é apenas meu amigo.
E fico tão feliz em ser isso.
Apenas isso vez em quando.
Tenho medo do seu olhar sobre mim.
Brigamos e rimos tanto.
Eu queria....
Como diz um refrão pertinente de cançonetas populares:
"Eu queria mais não posso fazer da noite maior"
Eu queria mais não posso ser tão menina contigo.
Tenho receios disso ser apenas uma boa história de amizade iniciando-se.

ass: Mar Santiago

Diário do Descobrir do Meu corpo. Parte VI

Corpografia
Corpografando...
Rememorando....
Diagnosticos que ficaram no corpo.
Comando apartir das escapulas e craviculas.
Pesa gira,salta,obedece.
Registra.
Pesa externo,costela,respira na coluna.
Nas orelhas,nos rins,no sacro.
Mascaras....
Comandos
3D dimensão espacial,ESTADO E NÃO ESTAR EM ESTADO ALGUM....
Movimentação surgir apartir do inicio.
Femo rotear para fora.
Tibia rotação dentro.
Pernas soltas.
Abrir espaços no ombros.
Escapulas abrem.
Deslocam-se
Esfregar pés registros.
Parceiro,dupla,trio,quarteto e só
Vicios....
Não vicios...
Corpo presente...
Pesa,pesa aterra.....

ass:Mar Santiago

segunda-feira, 23 de maio de 2011

D' àgua

Me pego rindo... sem querer.. Me cerco mais ainda sim é dificil escapar de rir de você.
É um cuidar descuidando.....
Fugindo dos teus olhos.
Do teu jeito
Que medo.
De me perder e não saber voltar.
É mais seguro te ter como amigo.
Não querer perder as risadas mais despreocupadas do dia.
Fujo.
Porque sinto que em algum lugar gosto da tua presença.
Não sei....até até quando....
Vou querer negar,me cercar e me proteger.
Fugir dos teus olhos que me fazem tão bem

ass:Mar Santiago

sábado, 21 de maio de 2011

Sentindo sua falta mais segurando as lágrimas para que a semana termine calma.


(Mar Santiago)


A falta do teu olhos negros pertubam tanto.
Sinto sua falta.
Gosto
Gosto
Gosto tanto de você.
Mais doe muito vê-lo com outra pessoa.

(Mar Santiago)

Musica Nunca / A Banda Mais Bonita da Cidade

Nunca diga não pra mim
eu não vou poder trabalhar, conversar, descansar sem o teu sim
seja sempre assim
por favor me dê um sinal
um cartão postal, um aval dizendo assim
'não, não é o fim, dure o tempo que você gostar de mim
entre o não e o sim, só me deixe quando o lado bom for menor do que o ruim'
Nunca se esconda assim
eu não vou saber te falar, te explicar que eu também me assusto muito
você nunca vê que eu sou só um menino destes tais
que pensam demais
logo mais, vou correr atrás de ti.
'não, não é o fim, dure o tempo que você gostar de mim
entre o não e o sim, só me deixe quando o lado bom for menor do que o ruim'

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Ahhhhhhhhhhhhhhhh

Quanto tempo tenho?
Será que ainda dá tempo?
Tempo que corroe
Tempo avassalador.
Inadiável.
Veroz.
Veloz são: Os ponteiros do relógio.
Mais agéis que meus pensamentos.
Mais incomprienssiveis que as sua palavras.
Não sei do você está falando?
Diz o rapaz dos olhos negros.
A moça para evitar aborrecimentos futuros,apenas responde.
Tudo bem.
Estão implicitos nesse dizer.,inúmeras coisas .
A vontade de gritar.
Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh
Você está mentindo.
Eu sei não preciso mais questionar.
O rapaz dos olhos negros pergunta:
Quanto tempo tenho para dizer a verdade?
Tempo esgotado.
Eu já chorei demais.

ass: Mar Santiago

terça-feira, 17 de maio de 2011

Diário do Descobrir do Meu corpo. PARTE V

Corpo congelado.
Chão.
Aterrar pés.
Isquíos apontados para o chão alonga....
Solo dos pés se encontram e topo da cabeça pesa.
Bacia alonga....
Ganha espaço nas costelas,colunas e vertebras...
Pernas para trás,sustentar o abdomen.
Pernas joelhos e Tibias relaxados.
Pegar no calcanhar,segurar na bacia sustentar.
Pensar no femo pesado não com força.
Volta decopando.
Rolamentos.
Tibia chão,Femo sustentação e giro.
Vup....
Corpo projetando para trás....
Estudos dos rolamentos decopados..
Tibia,femo,joelho pés aterrados suspensão.
Abdomen.
Em dupla.
Em dupla com relação.
Em dupla com relação ao movimento do outro.
Colocar a mascara.
Usar o espaço como preenchimento 3D.
Estado?
Sem neura.
Com mascara
Sem mascara.
O corpo ganha movimento espaço e calor.
Com mais espaços nas costelas

ass: Marcela Cabral Santiago

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Estrada

O outono está enfraquecendo meu coração.
Me sinto mais fria.
Com vontade de estar sozinha novamente.
O gosto do verão foi-se com os últimos acontecimentos tempestuosos.
Sou feita de raios e relâmpagos.
Não sou meio termo.
Ando nos extremos.
Não tenho muita sorte com os amores.
Eles tendem durar pouco.
Eles tendem findar quando se aproxima o inverno.
O outono está enfraquecendo minha vontade de amar.
Pois eu não sei amar sem sentir saudades ou ciúme.
Não gosto de ver
O menino dos olhos negros com outra pessoa.
Mais ele não está comigo.
Não posso reclamar.
Nem criar expectativas.
Então prefiro continuar só na caminhada.
Não posso mais ficar assim emburrada contudo que acontece.
Peço desculpas!
Mais me afasto apartir de agora sem mágoas ou birras,pra te ter de volta.
Eu descobri tarde que Amo você.
Fazer o que?
Transforma em poesia,canção e texto.
Por mim estaria nos seus braços.
Mais creio que não era pra ser duradouro.
Que pena!
Digo por minha parte....
Gostar de você me fez tão bem.
E sentir ciúmes também.
O outono está me tirando as forças e eu não posso te pedir pra me apoiar...
Porque você quer o mundo.
Eu quero os olhares minuciosos.
Eu quero um amor.
Você deseja vários.
Eu estava pronta para ser sua.
Mais sua estrada não se liga a minha.
Enquanto desenho essas formas de diminuir as perdas.
As lágrimas se formam na íris dos olhos....
e rolam como em um conta gota.
O outono está me enfraquecendo para que eu busque minha estrada sozinha.
Pois eu não faço parte da sua história mais.
E nem você quer prosseguir na minha.

ass: Mar Santiago

A Oração

Um amigo me mandou a oração do ciúme.
Livrai-me Deus do ciúme.
O ciúme tem os olhos verdes...
Me pega de jeito.
E me faz fazer coisas que não devo.
LIVRA-ME DO CIÚMES POIS ELE NÃO É BOM COLO.
Tão pouco conselheiro para ficar no pé do ouvido.
Cutuca durante a madrugada que chega a machucar.
Eita ciumeira boba sem eira nem beira.
Que chega do nada sem avisar.


ass:Mar Santiago

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Rendas

Aperta as minhas mãos...
Escorrega os dedos entre os dedos.
Eu me pego olhando sorrindo e querendo.
Diacho de querer te ter por perto.
De pegar você olhando pra mim....
Ai...
Eu perco as minhas armas.
Fico como uma garotinha romântica.
Como diz o figurino.
E acho tão bom ficar assim perto,e não saber o que é.
Segura nas minhas mãos forte e delicado.
Eu brigo mais quero afago.
E quando vejo você olhando pra mim.
Diacho fico perdida.
Querendo você por perto.
Olhos d' àgua e corpo de terra.
Me deixa ficar aqui mais um pouco encostada.

ass:Mar Santiago

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Ai...

Me faça perder o controle...
Te quero esta noite.
Quero por inteiro.
Esta noite.
Meu corpo encontra o seu e se afasta.
Os olhos se perdem...
Se encontram e se distraem.
Quero....
Que no escurecer do dia.
Possamos nos perder.....
Como quero me sentir assim leve...
Nos braços teus...
E me perde de vez nos teus olhos...
De àgua e terra que me pertubam...
Que eu faço com tudo isso menino?
Me faça não pensar nesse momento.
E me perde nas tuas risadas.
.........
Que possamos nos perder.


ass:Mar Santiago

Diário do Descobrir do Meu corpo.IV

Deveria ter escrito ontem mais esqueci.
Auto-ficcão?
O que é?
Costela pesadas,Tibia,Femo.
Articulações....
Vetores....
Disponibilidade para entrar no corpo do outro.
E deixar ser permeavel.
Coluna...
Comando....
Nariz como uma coluna.
Ansiedade
ahhhhhhhhhhhhhh
Estado diacho...
Calma
Estamos há um ano e meio mais isso é com o tempo.
Aterra.
Porque mINHAS pernas travam tanto aos comandos.
Força no abdomen.
Joelhos.
Pesa...
Não usar a força....
Ansiedades...
Trabalhar com o mapear do meu corpo.



ass:Marcela Cabral Santiago

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Diário do Descobrir do Meu corpo. PARTE III

Cambalhota.
Com a mascara de palhaço sustentar o corpo.
DOLORIDO CANSADO.
RONDANTE ESTRELA.
SEMANA QUE VEM MINUTO OLIMPICO E CONTINUAR TREINANDO POSSIBILIDADES COM O PALETÓ.
Respiro para tranquilizar.
Caos interno aparência de calmaria para sustentar a mascara.
Idiotice sem gracinha.
Aquecer,Aquecer e Aquecer.
Alongar.
Treinar.
Trilha sonora.
Sequência.
Mais já?
É MARJHÁ...
Ahh... Gato e Rato.
Queima o chão.
ah?
Corre...
Ah...
Tudo é tão desergonizado que minhas fichas estão caindo.
Sustentar a mascara.
Responsabilidade pra agora.
Bora....


ass:Marcela Cabral Santiago

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Diário do Descobrir do Meu corpo. PARTE II

Cambalhota.
Estrela
Acrobacia....
Fazer o corpo entender o mecanismo.
Pular,saltar,Ultrapassar limites do corpo.
Cambalhota de 3 Já.
Funciona.
Salto Leão.!
Agora.
Não denovo.
Já.
Entendendo como meu corpo funciona parte dois.
Força nesse braço.
Parada de mão.
Não Desmontar.
Fortalecer,tonificar.
Flexão.
Agora.
Descobrindo possibilidades para sustentar o peso da mascára se as palavras ditas.
E sim sonorizadas no corpo.
Trabalho diário.
Não meu corpo não é mais desculpa.
Treinar e treinar.
Para estar cada vez melhor.
E entendendo o processo de evolução do meu corpo.


Ass: Marcela Cabral Santiago

Fica fácil

Às vezes por descuido.
Que pego sorrindo fácil.
Sem muito esforço.
E fico parada nos olhos seus.
E me divirto.
Assim vendo e é fácil me perder.
E me cuidar me descuidando....
Olhando....
Me cuidando e descuidando


ass: Mar Santiago

terça-feira, 3 de maio de 2011

Diário do Descobrir do Meu corpo.

Entendo como meu corpo funciona.
Vendo que a coluna também é nariz.
E cada vertebra.
O arco da coluna no chão.
Não é torção.
Respirar.
Não tensionar.
Centro ativar o abdomen.
Não tensiona as mãos.
Sua coluna entende e estar respondendo.
Costela para chãos.
Bacia não.
Não o comando é pela costela e arco.
Externo tranquilo.
Vira em arco.
Pesa.
O lado para ganhar sustentação.
Dobrar dos joelhos.
aH........
Meu corpo está entendo seu tamanho.
Seus mecanismos.
Para ir com o movimento para trás.
Preciso fortificar pelo abdomen.
Pernas....
Leves sem peso.
Ísquios no chão.
Pensa em subir o joelho.
Levemente.
Coluna.
Pensar na coluna como um grande nariz.
Sacro,FEMO,Tíbia.
Estou entendendo meu tamanho dentro e fora da Mascara.
Lordose...
No corpo.
Sim tenho.
Mais descubro a cada dia.
Forma de ultrapassar limitações impostas no começo da minha trajetória artistica.
Meu treino com o corpo agora é diariamente.
Sim meu corpo agora está se encontrando.




ass:Marcela Cabral Santiago

segunda-feira, 2 de maio de 2011

A mudança de Mar Santiago

Eu não sei quem é a nova moça florida e mais discreta que sae do armário.
As cores presentes mais ainda estão singelas.
O cabelo buscando o jeito antigo de enmaranhar de forma harmonica e não.
A pele corada pela maquiagem mais simples.
O jeito de olhar mais curioso.
Calças?
Estão surgindo calças no armário junto com os vestidos.
Eu não sei quem é ela.
Nem o que ela quer.
Ela está com medo.
De um certo rapaz.
Ainda nem arrisca em criar apelidos.
Pois não quer que seu coração comece a ganhar certeza.
Não!
Ela está mudando e só.

ass:Mar Santiago

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Ter

As vezes machuca.
Pertuba não ter
Por mais que,saibamos que a grande brincadeira é não ter expectativas
Temos.
Mesmo sabendo que,o socorro de madrugada pra minha ansiedade; é de longe.
Via teclado.
Mesmo sabendo que, os beijos não serão os mesmos porque as bocas modificaram
Somos ansiosos.
Por tudo.
As vezes machuca.
Tem horas que o teclado do meu computador,não supre o calor das mãos humanas.
O afago e carinho na nuca.
O avassalador abraço.
O doce e arisco beijo.
O interessante de tudo é desapegar apegando-se em você.
E sendo feliz por conta própria.
Sem esperar os socorros de euforia na madrugada.
Sem esperar que o sim ou oi aconteça
Sem esperar nada do outro.
Ser você e se bastar é muito.
Então... se prepare navegantes
As vezes dói.

ass:Mar Santiago

Faz Sentido?

Talvez é bem provavel que seja esse lugarzinho que tenho que explorar.
Dos ponto de vista do papagaio
Mais sendo vulnerável não frágil.
Porque sabemos que o frágil quebra.
Por isso quando algo é de vidro se coloca placas.
Dizendo cuidado FRÁGIL.!
MAIS EU NÃO sou DE VIDRO...
NÃO RISCO
NÃO QUEBRO.
Mais imito talvez assim como o tal mundo Aviatico... sabe
Faz sentido?

ass: Marjhá

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Menino da Pele Morena

Menino da pele morena
E de sorriso largo.
Aparência calma e descontraida
E das conversas internautas sem nexo.
Me perco ás vezes no querer entender quem é você.
Mensagens subliminares.
Vontades minhas te entender de perto.
Não tão longe.
Fala mansa me destroe.
Ai,ai esse menino que agora anda povoando meus pensamentos também.
Arrebatador é o que és.

ass:Mar Santiago

terça-feira, 26 de abril de 2011

Dente de Leão


Tenho Muitos Amores...
E uma Autoficcão; de que eles se perdem no Vento.
Com o passar do tempo.
E se perde em uma imensidão de Mar
e Solidão.
Tenho Amores diversos.
Como um soprar do dente de leão.
Corada do vento gélido do Outono.
Da vista da varanda.
Ou de uma escadaria a noite.
Corada por todos amores que tenho.
E desapegada pelo os que já foram.
E o vento traz de volta rumos
Rumo...
A volta do cabelos longos.
E das flores miudas nas roupas
Amores tantos que não lembro os nomes....
Amores tantos que ainda estão por vim.
Amores achados,despercebidos.
Amores de um dia,horas,segundos e olhares.
Dos vidros embaçados.
Dos beijos roubados.
Da caricia feita.
Do jeito arisco de reagir.
Amores...
Ferozes e leves.
Como um um Dente de Leão


ass:Mar Santiago

domingo, 24 de abril de 2011

O Canto

Há um vulcão aqui dentro.
Uma mulher que toma atitude e não pergunta.
Há uma menina que deseja ora colo outrora solidão.
Você me vê?
Em turbilhão ou calmaria.
Existem desejos em mim maiores do que posso controlar.
Existe lacunas em mim que não sei ultrapassar.
Desejos de bocas,gostos,salivas...
Desejo de uma só boca,gosto,saliva...
Cabelos coloridos.
Mudança de aparência frenética.
Constância de pensamento retrogado.
Menina Mulher
Mulher Menina.
Depois de um vastidão de dias,deparados com o nada
E o canto da sala.
E agitação de um show.
Me perderei talvez na volta da rotina.
Em lábios já explorados.
Mais olhos apaixonados...
Por um menino de sotaque arrastado.
E pés descalços...
Menino da pele morena.
Fala mansa...
És arrebatador.

ass:Mar Santiago

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Estou

Me despeço da história.
O verão pode até continuar,mais sabemos bem que o outono chegou e nossas promessas não vingaram.
Não consigo mais ficar apenas feliz com sua aparição rápida.
Me despeço,ainda chorando mais tá faltando ar.
Meu menino dos olhos negros.
Ontem tive outros sinais.
De cantos que não se imagina.
Estou buscando... outros caminhos.
Estou mostrando meus espinhos.
Que são muito.....

ass: Mar Santiago

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Ganhei o Santo Antônio mais bonito que já imaginei.
No meio do desespero, do santo que perdi.
Uma moça de coração de alfinetes pegou dela e me deu....
E me disse:
-Toma esse é seu.


ass:Mar Santiago

terça-feira, 19 de abril de 2011

Ainda com medo dos pesadelos das noites passadas.
Mais com coragem de dizer não.
Se o aviso estiver certo.

ass: Mar Santiago





Eu tô num céu que é todo meu e todo mundo gira como manda Deus.
Eu tô num céu que é todo meu mais todo gira como manda Deus.
Giro pra poder entrar na dança
Como manda Deus!

(Ciranda- Gira Deus)

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Mar Santiago Em Devaneio de Saudade

E por mais que eu tente ignorar, o fato de sentir falta.
Sinto.
Entendo que o vento sopra em outra direção.
Quando você some seja um pouco dá um aperto.
E quando você surge.
Dá um alivio...
Eita!
Esse apego meu desapegando de você.
Não sei como.
Nem por onde.
A vontade que dá.
E de ficar bem perto.
Mais meu coração pede distância.
Eita!
Espero lembrar do que é bom.
Saudável e que o coração registrou, melhor que os olhos.
O sentir falta...
Está presente na conversa que se inicia tão simples.
E acaba sumindo.
Eita menino....
Acho que estou no caminho certo.
Ando observando as formigas....
Sabia.
A saudade uma hora se esgota não é mesmo?
Não sei!
Às vezes peço que se esgote como temporal; em dia de verão de uma vez só.
E outrora quero que seja uma garoinha fina.
Que seja passageira e devagar.
Pra que eu entenda.
Que melhor mesmo, nesse momento é saber te perder.
O que já não tenho.
Em presença.
Mais minha memória insiste em buscar você.
Será que saudade esgota mesmo?

ass: Mar Santiago

domingo, 17 de abril de 2011

Eu te peço

Dentre tudo que fomos e somos.
Não me cabe mais pedir,para você ficar.
Nem eu posso esperar.
Eia!
Que foi?
Estou me perdendo no mundo das cores denovo.
Diz a moça colorida para o rapaz dos mais belos olhos negros.
Aquela ciranda levou de mim, a alma cinza que restava.
Ei! Gosto muito de você.
Sei que não lhe digo isso com certa frequência.
Mais é o jeito meu.
Olho de canto de olho o rapaz de olhos negros.
Amo vê-lo tocando.
Vejo sua alma sabia.
A ciranda tá me chamando.
Você volta?
Pergunta o rapaz dos olhos negros como a noite.
A menina cheia de fitas, e um patuá na mão de coração com vários santos diz:
Se você estiver por inteiro, e vier a minha procura...
Essa ciranda que vou agora me traz de volta.
Como as ondas do Mar.
Eu preciso ir meu menino.
Como você precisa também.
Sou ainda a menina impulsiva e estabanada.
Mais nesse momento preciso ganhar asas.
E terminar de buscar algumas cores que estão perdidas.
Eu volto....
Mais vem me buscar no fim da ciranda...
Com olhar mais doce e as suas mãos no meu rosto.
Que eu ainda sim,mesmo modificada serei sua.



ass: Mar Santiago

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Um dia Colorido de Mar Santiago

Esse cavalo marinho que embala os meus dias! Viva mais um dia colorido!!!!
E que continuem assim doces... coloridos...e embalados por dança; encontros e desencontros...
Também que seja leve
Que seja aterrado quando necessário for.
E tenha asas antes do sol se pôr.
E que as mãos de dois quase enamorados se cruzem.
E que os olhares sejam de apego desapegando.
E o que beijo aconteça com gosto de ser continuo.
E que seja interrompindo.
Pois o dia de alegria que foi para um coração; veio a cavalo.
Termina em uma volta no ônibus durmindo.
E que o gosto do beijo perpetue.
E que volte sempre...
Sempre..
Esse cavalo marinho que embala meus dias,mais faz tão bem.
Que tira um pouco do barulhento mundo do transito.
E que depois me faz subir a Consolação totalmente modificada.


ass: Mar Santiago